A imersão dos estudantes é um diferencial para que eles consigam se capacitar cada vez mais, e a sua escola tem um papel importante nessa trajetória. No texto abaixo você vai entender mais sobre o tema e poderá aplicar na sua instituição.

Aprender continuamente é muito importante, já que vivemos em um mundo globalizado que muda muito rapidamente. Manter-se atualizado e desenvolver a sede pelo conhecimento são habilidades que podem ser incentivadas no período escolar em crianças e adolescentes.

Para que essa prática de aprendizado constante seja um hábito para os estudantes, o conceito de educação continuada pode ser aplicado e adaptado à realidade deles. No texto a seguir, você vai conhecer algumas soluções que contribuem para esse crescimento e que podem ser desenvolvidas em sua escola. Acompanhe!

O que é educação continuada?

Essa expressão pode ser utilizada em diversos campos de atuação e na vida pessoal de cada um. Ela se refere à ideia de que o indivíduo busque continuamente desenvolver novas habilidades e atualizar os conhecimentos que já possui.

No contexto profissional, essa é uma maneira de se manter sempre antenado naquilo que o mercado tem de mais recente, além de se preparar para alcançar novos objetivos no seu plano de carreira. 

Mantendo essa rotina de estudos, caso seja preciso voltar a concorrer a vagas no mundo corporativo, o profissional já estará preparado e não se desgastará correndo atrás do tempo perdido.

Já no lado pessoal, essa é uma maneira de se manter ativo, exercitando o cérebro e acumulando cada vez mais experiências e conhecimentos para aplicar em qualquer aspecto de sua vida.

Levando essas teorias para dentro da escola e as aplicando aos seus alunos, a educação continuada pode mudar a maneira como eles encaram a rotina de estudos e ser uma aliada para professores e educadores na missão de alfabetizar os jovens.

Esse contato dos estudantes com conteúdos que despertam o aprendizado não está necessariamente ligado à sala de aula. Os professores e a equipe pedagógica podem propor aos estudantes uma série de atividades que podem ser feitas no ambiente escolar de forma mais lúdica e em casa nos momentos de lazer e de estudo.

1. Atividades autônomas

Ensinar os jovens a desenvolver sua autonomia é uma maneira de prepará-los para a vida adulta e profissional, em que, muitas vezes, será necessário tomar decisões e assumir responsabilidades de forma individual.

As atividades que possibilitam esse contato com as próprias habilidades e ideias, e que ajudam a colocar em prática aquilo que foi pensado por eles são ótimas para explorar esse lado. Um exemplo disso são as aulas de tecnologia e robótica, nas quais eles conseguem descobrir um novo campo de conhecimento e aumentar sua capacidade autônoma, através da elaboração de pequenos projetos e sua execução utilizando materiais lúdicos e de fácil manuseio.

2. Material didático interativo

Nos momentos em que seus alunos estão em casa estudando e resolvendo as tarefas, é fundamental que a escola ofereça meios para que eles consigam aprender sozinhos. Portanto, elas necessitam de um material didático de qualidade.

A interação com o material desperta novas vontades e motivações para que eles estudem. No ensino infantil, esse contato entre conteúdo e criança pode ser feito através de personagens nos livros, como é o caso dos materiais da Pearson Global School, que contam com diversos animais para acompanhar os pequenos.

Já no ensino fundamental, os recursos tecnológicos são a chave para que eles consumam cada vez mais assuntos educativos enquanto estão em frente às telas. Na plataforma digital do aluno da Pearson Global School, os estudantes encontram atividades, explicações e conteúdos complementares ao de sala de aula para poderem continuar aprendendo em casa. 

3. Escola bilíngue

O ensino de um segundo idioma já é uma forma de incentivar crianças e adolescentes a aproveitar o tempo escolar. Dessa forma, é possível garantir que eles conheçam uma língua diferente da sua materna e se capacitem ainda mais para a vida.

As escolas com metodologia bilíngue estão em um nível ainda mais alto de empenho em educar seus alunos. Isso porque o contato com o inglês é feito de forma integral e através da interdisciplinaridade, ou seja, as aulas de outras matérias serão ministradas na língua inglesa e, por isso, os estudantes adquirirem mais repertório e conhecimento sobre ela.

Além disso, fora da escola eles podem realizar atividades, como assistir a filmes e ler livros em inglês, o que os ajudam a atingir um nível mais alto de domínio do idioma.

Como vimos, uma escola que está preparada para oferecer aos seus alunos maneiras de capacitá-los também fora da sala de aula é responsável por formar cidadãos que buscam o conhecimento de forma constante, fazendo com que eles busquem cada vez mais aprender sobre as coisas.

Se você é mantenedor ou diretor de escola e deseja conhecer mais sobre a Pearson Global School? Então clique aqui! Em nosso blog você também encontra outros materiais sobre a educação bilíngue.

Como preparar sua escola para receber o programa bilíngue da Pearson Global School?

CLIL: o que é o ensino integrado de inglês?