O STEM é um movimento que está diretamente ligado ao desenvolvimento de habilidades cada vez mais valorizadas no século 21. Saiba mais!

Quando falamos sobre as diferentes abordagens pedagógicas, é comum pensarmos imediatamente no sistema tradicional de educação, não é mesmo? No entanto, existem algumas outras abordagens inovadoras. 

É o caso do STEM, um movimento focado na capacitação dos estudantes de forma integrada. Além disso, o STEM propõe o estímulo de habilidades diferenciadas e cada vez mais valorizadas na educação, como é o caso das habilidades do século 21.

Quer saber mais sobre o STEM e quais são os seus impactos na educação? No texto de hoje, você entenderá como funciona esse importante movimento, que também pode ser incluído nas aulas dos programas bilíngues. Acompanhe!

O que é o STEM?

STEM é uma sigla em inglês para “Science, Technology, Engineering and Math“. Portanto, em português, seria uma abreviação para “ciências, tecnologia, engenharia e matemática”. Nesse sentido, o STEM consiste em uma abordagem pedagógica focada principalmente no ensino dessas quatro grandes áreas do conhecimento. E, assim, visa também o desenvolvimento do pensamento lógico e a resolução de problemas, preparando os alunos para o futuro mercado de trabalho, por exemplo.

Na prática, o STEM funciona por meio de oficinas e aulas onde são propostos desafios para os estudantes, que devem resolvê-los utilizando diversos conhecimentos. Por isso, outro conceito bastante importante e que está diretamente relacionado ao STEM é a interdisciplinaridade.

Contudo, é importante lembrar que algumas instituições de ensino já adotam o STEM com uma pequena diferença, representada pelo acréscimo de uma letra “A” à sigla. Ou seja, no STEAM, há a adição das “arts” (ou “artes”, em português). Vale lembrar que tanto o STEM quanto o STEAM podem ser incluídos nas aulas da educação bilíngue, tornando-as ainda mais interessantes para os alunos.

Aulas mais interativas

Por trabalhar o conceito da interdisciplinaridade e a resolução de desafios, o cotidiano das aulas com o STEM se torna menos monótono e também mais atraente para os alunos. A dinâmica de aprendizado e as atividades que podem ser trabalhadas fazem com que os estudantes desenvolvam, ainda, outros campos do conhecimento e adquiram diferentes habilidades, como é o caso da cooperação e da criatividade.

Para que isso seja possível, porém, é necessário que a escola invista em uma infraestrutura adequada para receber esse tipo de abordagem educacional. Entre os investimentos, estão os recursos tecnológicos em sala de aula e o espaço de criação e montagem de projetos, por exemplo.

Alunos colocam a mão na massa

A abordagem STEM permite que a escola acrescente à sua grade um conceito bastante interessante, que está ganhando cada vez mais adeptos: a prática de deixar os alunos criarem livremente seus projetos e até novos equipamentos. Em muitas escolas isso é feito durante as aulas de robótica, por exemplo, em que os estudantes aplicam na prática as teorias já vistas em sala de aula. 

Além disso, esse conceito, chamado também de “do-it-yourself” (DIY), ou “faça você mesmo” em português, está associado ao desenvolvimento de novas e importantes habilidades para os jovens. Veja a seguir!

Desenvolvimento de habilidades

O STEM incentiva o desenvolvimento habilidades socioemocionais, como a autonomia e a criatividade, por exemplo, tanto através do “do-it-yourself” quanto por meio da criação e elaboração de outros projetos e atividades. Dada a sua importância, essas competências são também conhecidas como “habilidades do século 21”.

Além disso, o fato do STEM trabalhar com a interdisciplinaridade faz com que estimule o pensamento global dos estudantes. Ou seja, a compreensão de que diferentes áreas do conhecimento estão interligadas e que, portanto, não devem ser analisadas de forma separada. 

Quando bem trabalhado, esse conceito pode ser aplicado à vida dos estudantes, e é possível demonstrar para os alunos que os diversos assuntos também se conversam fora da escola. Assim, essa prática ajuda a desenvolver o pensamento amplo e crítico de crianças e adolescentes, tornando-os jovens mais conscientes.

Na questão das relações interpessoais, os estudantes que têm contato com o STEM aprendem desde cedo a se comunicarem de forma clara e objetiva, a ter mais responsabilidades, a trabalhar em equipe e a respeitar as ideias dos colegas. E todas essas competências também são apontadas como essenciais para se ter sucesso nas relações humanas, sobretudo nos próximos anos.

Vantagens para a escola

Adotar a abordagem STEM em sua escola é uma maneira de se diferenciar das outras instituições, principalmente aquelas que têm métodos tradicionais de aprendizado. Como vimos, o STEM é focado em desenvolver nos jovens as capacidades e habilidades mais valorizadas do século 21, tornando-se, dessa forma, uma abordagem atualizada e moderna para as salas de aula.

As tendências na educação estão em constante mudanças e as abordagens pedagógicas estão se modernizando, sobretudo devido à introdução de novos conceitos e também tecnologias digitais. Por isso, se você quiser saber mais sobre o universo escolar e a educação bilíngue, acesse o blog da Pearson Global School e confira nossos materiais!

7 dicas que vão ajudar no melhor aproveitamento do aprendizado de inglês

6 vantagens da educação bilíngue para os alunos