Tornar o aprendizado da língua inglesa mais atraente e proveitoso é essencial. Ao otimizar o processo, os alunos se engajam com intensidade e conseguem absorver um volume maior de conhecimento.

A boa notícia é que há muitos meios de melhorar esse aproveitamento. Com medidas simples, fica fácil garantir que os estudantes tenham tudo o que é necessário para conquistar um ótimo desempenho.

Na sequência, veja 7 dicas capazes de ajudar a ampliar o aproveitamento da aula de inglês!

1. Escolha um bom programa bilíngue

A principal estratégia tem a ver com o planejamento e a estruturação. Então, é fundamental contar com o apoio de um bom programa bilíngue, pois ele é o maior responsável por viabilizar o ensino da língua estrangeira de maneira natural e efetiva.

O recomendado é que a escola selecione um programa com autoridade, viabilidade e bons recursos. A proposta pedagógica deve ser completa e trazer abordagens que tornem o processo de ensino-aprendizagem envolvente.

Nesse momento, é indicado ter bastante cuidado com essa seleção: avalie a trilha de conhecimento oferecida em cada programa, verifique os aspectos da metodologia e entenda o que faz sentido para a instituição.

2. Utilize o poder dos elementos multimídia

Os materiais didáticos devem ser coerentes e ter qualidade, o que é obtido com a escolha de um programa adequado. Por outro lado, para maximizar o aproveitamento, é essencial pensar em elementos que vão além do que está nos livros.

Buscar novas fontes de conhecimento é um jeito de fortalecer a forma como a aula de inglês é aproveitada. Nesse sentido, vale a pena utilizar recursos como áudios, livros de histórias, flashcards e outros materiais de apoio.

Um kit de sala de aula, por exemplo, ajuda a criar uma rotina em inglês, com atividades como “What is the weather like today?” e “The 5 finger rule”, entre outras. Elas tornam cada etapa muito mais atraente e estimulam a participação dos estudantes.

3. Recorra ao lúdico

Criar um ambiente lúdico e envolvente é um jeito de ampliar a propensão ao aprendizado. É provável que as crianças e os jovens se sintam mais interessados na aula de inglês se ela sai do convencional.

Para tanto, é importante utilizar os elementos corretos. A contação de histórias e as músicas são boas possibilidades para levar a etapa a um novo nível. A ideia é empregar aspectos que chamem a atenção dos estudantes pelos motivos certos.

Nesse cenário, também vale a pena recorrer a recursos como concursos culturais e passeios. Desse modo, as crianças se divertem e se sentem muito mais atraídas pelo conteúdo ensinado.

Não se esqueça dos elementos visuais: pôsteres, frases, desenhos e outros componentes na sala transformam o ambiente. Tudo isso ajuda a reforçar a proposta do aprendizado contínuo, ao mesmo tempo que o torna um entretenimento.

4. Aposte na interdisciplinaridade

Ao recorrer a um programa bilíngue, é possível notar que a segunda língua deixa de ser o grande objetivo. Em vez de ser o topo da montanha, ela se transforma na ferramenta necessária para a escalada. Ou seja, o idioma estrangeiro assume o caráter de principal recurso utilizado no processo de ensino-aprendizagem.

Para estimular esse aspecto e tirar a cara de “aula de língua sem graça”, a dica é investir na interdisciplinaridade. Fazer a língua estrangeira conversar com outros temas e conteúdos é uma forma de atrair e prender a atenção dos alunos.

O projeto STEM é uma ótima possibilidade. Ele permite que o idioma estrangeiro esteja associado a conhecimentos de Matemática, Engenharia, Tecnologia e Ciência. Então, os estudantes passam a aprender de maneira aplicada e veem, na prática, como tudo acontece.

5. Invista em cultura maker

Durante muito tempo, o aprendizado foi um processo unilateral e praticamente passivo. Os alunos ouviam enquanto os professores proferiam seus conhecimentos.

No entanto, um idioma é algo vivo e dinâmico. Para que a aula dele supere expectativas, vale apostar na cultura maker. A intenção é trabalhar uma abordagem mão na massa e fazer os estudantes se envolverem com os conteúdos ministrados em sala enquanto desenvolvem a autonomia.

Seguir por esse caminho permite que as aulas percam o caráter monótono e assumam características como o incentivo à capacidade de agir em busca do conhecimento. Também é um modo de personalizar todo o processo e de garantir uma proposta atraente.

6. Incentive a interação

O aprendizado de um idioma não tem a ver apenas com o aspecto acadêmico. Trata-se, também, de um elemento sociocultural. Ao adquirir proficiência em uma língua, o indivíduo tem mais possibilidades de consumir entretenimento e de se comunicar. Então, por que não explorar esse caminho?

Em vez de criar uma aula restritiva e individualizada, é muito oportuno incentivar a interação. Estimular que os alunos se comuniquem no idioma, fomentar conversas e trazer as Big Questions são algumas possibilidades.

Além de melhorar a consolidação dos conceitos e de fortalecer a prática de conversão, é uma forma de facilitar a construção colaborativa de conhecimento. No final, é um ótimo truque para tirar os estudantes da zona de conforto e maximizar o nível de aproveitamento.

7. Aproveite datas comemorativas

Já que aprender na prática é uma excelente maneira de reforçar o aprendizado de um segundo idioma, nada melhor do que aproveitar datas comemorativas para promover atividades integrativas entre os alunos e a comunidade escolar. Em alguns períodos do ano, as comemorações abrem o caminho ideal para explorar aspectos linguísticos e socioculturais.

Pense, por exemplo, no Halloween. A festa é tradicionalmente norte-americana e todos os seus elementos estão ligados, de alguma forma, ao inglês. Adotar essa data é uma forma de apresentar novas palavras e novos conhecimentos, além de trabalhar um ponto importante de outra cultura.

O mesmo vale para tantas outras datas, como dia das mães, dos pais, férias e assim por diante. Com o uso desses elementos ligados ao cotidiano, a aula ganha uma atmosfera muito mais leve.

O aproveitamento do aprendizado em um programa bilíngue pode ser maior com as ações certas. Ao seguir essas dicas, os estudantes ficam mais engajados e têm um interesse ampliado.

Saber como selecionar um bom programa é essencial, certo? Aproveite e entenda como escolher o melhor sistema de ensino para uma parceria bem-sucedida.