O ensino bilíngue na Educação Infantil é uma excelente oportunidade para os estudantes. A aquisição de uma segunda língua oferece grandes benefícios, como a melhoria na habilidade de comunicação e o destaque no mercado de trabalho no futuro.

No entanto, ainda há muitos mitos sobre o tema. É preciso desconstruí-los para entender o papel transformador que o aprendizado de um segundo idioma representa e como colocá-lo em prática.

Na sequência, conheça 4 mitos e 4 verdades sobre a educação bilíngue ainda na infância.

1. “O bilinguismo é um fenômeno raro de acontecer”

Mito. Especialmente quando o assunto é o desenvolvimento de crianças que falam mais de um idioma, existe a ideia de que essa é uma ocorrência rara. Com frequência, é visto como algo que depende de talento ou de aptidão inata.

No entanto, isso está longe de ser a realidade. O ensino bilíngue na Educação Infantil é um processo completo, estruturado e que considera diversos estudos e validações. Trata-se de uma possibilidade a ser trabalhada desde que a escola tenha as condições necessárias para tal.

2. “A aquisição de um novo idioma compromete o desenvolvimento infantil”

Mito. Um dos maiores receios dos pais, dos responsáveis e até de alguns profissionais é que a consolidação de um novo idioma possa ser prejudicial ao desenvolvimento da criança em outras disciplinas — afinal, esse processo acontece de maneira simultânea ao da língua materna, o que, supostamente, aumentaria os riscos de confusão.

Na prática, entretanto, esse cenário não existe. Desde que o processo educacional seja bem estruturado e a exposição seja correta, não ocorre nenhum atraso no desenvolvimento do aluno nas demais disciplinas — pelo contrário, o aprendizado de uma segunda língua potencializa o raciocínio lógico, melhora a comunicação e favorece a aquisição do conhecimento em várias etapas.

3. “O ensino bilíngue na Educação Infantil é o único caminho para que o aluno obtenha fluência”

Mito. A afirmação de que a aquisição de linguagem é favorecida nos primeiros anos de vida é verdadeira — no entanto, não significa que esse é o único período em que a obtenção da fluência no segundo idioma é viável.

O aprendizado efetivo é possível em qualquer fase, especialmente quando os recursos certos são usados. Os alunos do Ensino Fundamental ou mesmo do Ensino Médio, por exemplo, também têm a chance de desenvolver fluência. Para tanto, é preciso que haja uma metodologia adequada à disposição.

4. “O método tradicional é melhor que a Educação Bilíngue”

Mito. Ambos os métodos são efetivos no desenvolvimento da fluência em um segundo idioma, apenas com abordagens e metodologias diferentes.

5. “A educação bilíngue pode começar desde cedo”

Verdade. Logos nos primeiros anos, o cérebro está em evolução e todos os estímulos dessa fase são determinantes para o que virá no futuro – portanto, é muito importante planejar o aprendizado, inclusive do segundo idioma.

Basta pensar no idioma materno: as crianças são expostas a ele desde os primeiros dias de vida e, por isso, acabam adquirindo fluência nele. Com a língua estrangeira, o caminho é semelhante: inserir o aluno em um contexto bilíngue desde cedo otimiza a aquisição de vocabulário e a aplicação dos conceitos aprendidos na prática do dia a dia.

6. “A escolha de um programa bilíngue de qualidade é fundamental”

Verdade. Para gerar proficiência em inglês ou em qualquer idioma, não basta expor a criança a palavras estrangeiras. É preciso ir além, utilizando um processo estruturado e que permita que o indivíduo seja inserido em diversos contextos e situações cotidianas, com o segundo idioma como ferramenta de comunicação e aprendizado.

Por isso, a escolha de um programa bilíngue estruturado e de qualidade é fundamental. O ensino bilíngue na Educação Infantil deve ser aplicado por meio de uma metodologia atual e completa. As atividades e os materiais didáticos são essenciais na etapa, ou seja, precisam ser muito bem escolhidos. A escola, assim, tem que se preocupar em selecionar uma opção consistente para obter esse resultado.

7. “A criança pode se tornar bilíngue mesmo se os pais não o forem”

Verdade. Os filhos de expatriados ou imigrantes, normalmente, têm acesso a um idioma diferente. Com isso, tornam-se bilíngues por causa da experiência no lar e, ao mesmo tempo, com a linguagem dominante fora dele.

No entanto, não é uma exigência que os responsáveis sejam bilíngues para que a fluência seja desenvolvida pela criança. Com um programa bilíngue estruturado, a aquisição do segundo idioma acontece de maneira completa e efetiva. Como consequência, há a proficiência nele mesmo que no ambiente familiar seja falada apenas a língua materna.

8. “O aprendizado do segundo idioma pode envolver aspectos culturais”

Verdade. Aprender uma língua estrangeira e ser fluente nela não significa somente explorar o vocabulário e os aspectos linguísticos.

Um bom programa bilíngue permite a aquisição da fluência no segundo idioma com a inserção do aluno em situações cotidianas. As atividades e os materiais didáticos são pensados de modo que se tenha acesso a diversas culturas e suas peculiaridades. Dessa forma, os indivíduos bilíngues também se tornam indivíduos multiculturais, abertos a novas possibilidades e a novas visões de mundo.

Ao desvendar os mitos e conhecer as verdades sobre o ensino bilíngue na Educação Infantil, fica mais fácil entender por que essa alternativa é tão positiva.

Ainda tem alguma dúvida sobre a educação bilíngue? Deixe seu comentário!