O estudo de uma segunda língua tem se tornado uma prioridade para as pessoas. Ser bilíngue, no mínimo, é uma necessidade em um mundo cada vez mais globalizado e competitivo. Então, aprender outro idioma está perto do topo das exigências de muita gente.

Como a tendência é que esse conhecimento se torne progressivamente importante, muitos pais e responsáveis têm buscado o ensino de línguas estrangeiras para as crianças. Ao mesmo tempo, ainda há alguns mitos sobre o desenvolvimento da fala ou do aprendizado em programas bilíngues.

Para não ter dúvidas sobre o tema, veja qual é a importância de aprender outro idioma desde cedo.

Por que é importante ser bilíngue?

Antes mesmo de pensar na relevância de estudar uma língua estrangeira, é essencial compreender o papel do bilinguismo. A sociedade está cada vez mais conectada e globalizada, então será exigido que as pessoas tenham conhecimentos amplos e progressivos.

Aprender inglês, por exemplo, traz a oportunidade de falar aquele que é considerado um idioma universal. Esse fato permite que as crianças e, futuramente, os jovens tenham acesso a novas culturas, pessoas e oportunidades.

Lidar com outro idioma também está ligado aos benefícios que esse processo traz para o cérebro e para a realidade do estudante, de modo geral. Mais do que nunca, é preciso se concentrar em alcançar a fluência e ter oportunidades ampliadas no futuro.

Por que é importante que as crianças sejam apresentadas a uma língua estrangeira?

O corpo humano passa por fases de desenvolvimento, e cada uma delas é marcada por um processo de aprendizagem. Nos primeiros meses de vida, os pequenos aprendem funções básicas. A partir dos 12 meses de vida, começam a responder a estímulos sensoriais e movimentos. Dos 2 anos em diante, a linguagem passa a ganhar importância.

Desde o começo, aprender outro idioma é uma possibilidade bastante vantajosa — inclusive, para aproveitar todo o processo de desenvolvimento. Na sequência, veja quais são os maiores benefícios de ser exposto a um novo idioma.

Capacidade ampla de obter proficiência

Nos primeiros anos de vida, o cérebro humano ainda está em desenvolvimento. Para que todas as estruturas sejam trabalhadas, são feitas muitas conexões neurais. Ao mesmo tempo, isso aumenta a capacidade de absorção de conceitos e de entendimento sobre o que existe ao redor.

Quando se fala em linguagem, isso é exatamente o que ocorre com a língua nativa. As crianças são apresentadas a um idioma e passam a adquiri-lo. Então, estudar desde cedo é uma forma de aumentar a eficiência do aprendizado e a proficiência.

De acordo com um levantamento da Islamic Azad University, as pesquisas apontam que até os 10 anos é a melhor fase para introduzir um novo idioma. O potencial de aprendizado é maior e, como resultado, a fluência é obtida com mais facilidade.

Facilidade para adquirir um terceiro idioma

A Humboldt University fez um estudo com crianças e encontrou uma maior propensão para aprender uma terceira língua entre as crianças que já eram bilíngues. O grupo que se destacou era composto por estudantes expostos formalmente até os 3 anos e que trabalhavam frequentemente as duas línguas.

Isso significa, portanto, que aprender um segundo idioma desde cedo é uma forma de facilitar a aquisição de outros no futuro. Em parte, isso se deve ao uso simultâneo das duas línguas, o que estimula o cérebro e certos campos responsáveis pela linguagem.

Melhoria no desempenho cognitivo

Ainda existe o mito de que crianças bilíngues sofrem algum tipo de atraso no desenvolvimento. Isso seria marcado, por exemplo, pela confusão entre fonemas ou pela dificuldade ao falar. No entanto, o que acontece é exatamente o oposto.

Graças ao aprendizado de um segundo idioma, os pequenos têm um reforço especial no desenvolvimento cognitivo. Problemas de lógica são resolvidos mais facilmente, além de haver maior propensão ao campo das linguagens.

Um levantamento da Utrecht University, por exemplo, apontou que crianças bilíngues conseguem oferecer atenção seletiva com intensidade.

Já uma pesquisa da York University demonstrou que as crianças bilíngues têm maior capacidade metalinguística ao longo do desenvolvimento. A mesma instituição concluiu que muitos indivíduos que aprendem um idioma estrangeiro têm menor dificuldade para aprender a ler e conseguem solucionar mais facilmente problemas que soam como “pegadinhas”.

No final, todos esses achados fazem os estudantes-mirins ter um desempenho cognitivo favorecido de maneira consistente. Em algumas atividades, como a memória, o bilinguismo não gera efeitos, o que significa que também não causa prejuízos.

Obtenção de benefícios socioculturais

Além de tudo, uma criança que é exposta desde cedo a esse nível de aprendizado obtém diversas vantagens socioculturais. Em primeiro lugar, ela consegue se conectar com pessoas de culturas diferentes, além de consumir filmes, músicas e desenhos em outros idiomas.

O aprendizado também é determinante para aumentar a empatia e a capacidade de comunicação, segundo a University of Chicago. Isso gera vantagens importantes no contato social, o que melhora a participação e a inserção na sociedade.

Para completar, uma criança bilíngue se torna mais predisposta a conhecer novas culturas e experiências. Por já estar acostumada a elementos distintos dos de sua própria realidade, consegue lidar melhor com o diferente.

Como garantir que o estudante possa aprender outro idioma?

Para ter a certeza de que a aquisição de uma nova linguagem é viável, é muito importante que o processo aconteça da maneira correta. Não basta expor a criança a um ambiente com outra língua se não houver uma metodologia formal.

Também não é suficiente — ou, ao menos, produtivo — matriculá-la em um curso tradicional. A exposição é pouca e, com isso, perde-se a janela de tempo ideal para consolidar o aprendizado.

O melhor é buscar uma escola bilíngue, onde a experiência é completamente imersiva. Dessa forma, o estudante tem a chance de usar o novo idioma como uma ferramenta de comunicação. Com dinâmica, o aprendizado se concretiza em menos tempo e dá origem à desejada proficiência.

Aprender outro idioma desde cedo já se tornou uma necessidade para muita gente, diante da importância da globalização. Além de gerar fluência, é um jeito de estimular as atuações sociocultural e cognitiva, o que leva a resultados muito melhores em todos os aspectos.

Gostou do texto? Aproveite para descobrir mais sobre quais são os benefícios da educação bilíngue ao desenvolvimento infantil e veja como essa solução causa impactos positivos desde a mais tenra idade.