Durante muito tempo, o aprendizado de um novo idioma esteve condicionado aos métodos tradicionais. Com a globalização, o aumento do interesse em aprender novas línguas e o refinamento das metodologias e abordagens, surgiram as escolas que oferecem um programa bilíngue.

Afinal, o que é uma escola bilíngue?

Em termos práticos, uma instituição desse tipo é aquela que lida com dois idiomas no processo de aprendizado. O mais comum, no Brasil, é encontrar locais que trabalham com o português (que é a língua nativa) e o inglês (considerado um idioma universal).

Convém não confundir essa alternativa de abordagem com a de uma escola internacional. A instituição de natureza bilíngue segue o método de ensino do país em que está presente, com o currículo nacional e suas respectivas disciplinas. Em uma instituição bilíngue brasileira, por exemplo, os estudantes vão aprender, entre outras matérias, História do Brasil e Língua Portuguesa.

Já uma escola internacional é voltada para as demandas e os costumes de outro país. Uma instituição americana em território brasileiro, assim, aborda em suas aulas questões referentes aos Estados Unidos.

Como funciona a escola que oferece programa bilíngue?

Se esse tipo de instituição não é igual a uma escola internacional, então como é seu funcionamento? Explica-se: em uma escola que oferece programa bilíngue, o aluno passa por um processo de imersão no segundo idioma, adquirindo fluência enquanto utiliza o idioma como ferramenta de aprendizado de conceitos diversos.

Nela, mesmo estudantes da Educação Infantil, por exemplo, têm contato com o segundo idioma – conforme há a progressão do aprendizado, ocorre um aprofundamento na língua estrangeira.

Ao mesmo tempo, é indispensável notar uma diferença básica em relação às escolas tradicionais. Nos colégios regulares, um idioma estrangeiro, como o inglês, configura uma disciplina cujo foco é no ensino da materialidade linguística dele.

Em um programa bilíngue, há, portanto, uma imersão completa e envolvente, levando o aluno a usar a língua estrangeira como ferramenta de comunicação e aquisição de conteúdos de Ciências, Matemática e Estudos Sociais, entre outros. Além disso, as abordagens adotadas garantem o desenvolvimento de habilidades importantes para o cidadão do século XXI, como criatividade, flexibilidade, comunicação, colaboração e empatia.

Quais são os benefícios de uma escola do tipo bilíngue?

Imersão total no idioma

A escola que adota um programa bilíngue prevê uma imersão completa na língua estrangeira, inserindo os alunos em ambientes que os incentivam a conhecer e a explorar a nova língua por meio de atividades lúdicas e integrativas.

Essa abordagem é determinante para dar suporte ao aluno no processo de desenvolvimento da fluência. O conhecimento do idioma é adquirido de maneira muito mais natural e orgânica, favorecendo o aprendizado.

Aprendizado natural e real

O fato de estar imerso em um segundo idioma faz o estudante efetivamente aprender a utilizá-lo como ferramenta de comunicação em diversas situações cotidianas de maneira prática e natural.

Melhores oportunidades no futuro

Para os estudantes, ser fluente em uma segunda língua expande as possibilidades de comunicação e permite o contato com um número maior de pessoas. Além disso, é um meio de se destacar quando chegar a hora de disputar uma vaga no mercado de trabalho.

Qualquer escola pode se denominar “bilíngue”?

A regulamentação do Ministério da Educação (MEC) para que uma escola se intitule “bilíngue” ainda apresenta variações, abrindo espaço para que qualquer instituição se valha desse termo – ainda que não ofereça, efetivamente, educação ou programa bilíngue.

No entanto, para oferecer uma experiência completa é preciso contar com metodologias, abordagens e materiais didáticos específicos a fim de garantir os melhores resultados no processo de ensino-aprendizagem.

Há também a necessidade de um espaço próprio para as aulas do programa bilíngue, uma vez que a sala de aula para esse tipo de abordagem difere daquela da aula tradicional – trata-se de um ambiente que favorece a integração, é acolhedor e envolvente.

Por fim, os professores de cursos bilíngues precisam necessariamente ser fluentes no idioma estrangeiro para transmitir os conteúdos diversos de maneira efetiva.

Desde que conte com a estrutura ideal, os resultados são positivos para todos os envolvidos: gestores educacionais, professores, alunos e famílias.